O que me arranca do nada é o Autor da vida

Uma pergunta que provoca a olhar a própria vida. E descobrir que pode olhar para tudo de si. E abrir “janelas” na partilha com os outros

Quando estávamos ainda no início da pandemia da covid-19, precisamente no dia 30 de maio de 2020, recebi de um amigo o texto O brilho dos olhos. O que nos arranca do nada? Achei bem interessante, aprendi uma palavra nova: “niilismo”, e com ela aprendi a descobrir o sentido das coisas, da vida, das circunstâncias.

Respondendo a mim mesma a provocação, disse: «O que me arranca do nada é o meu tudo de sempre: Jesus!» É Ele o autor da vida! É n’Ele e por Ele que tudo passa a fazer sentido. Isso ocorre quando nos deixamos ser guiados por Sua voz, num sussurro ou até mesmo num grito do Espírito Santo! E pelas pessoas que Ele mesmo vai colocando em nosso caminho, em nossa trajetória de vida, em nossa história!

Neste curto tempo que estou participando da Escola de Comunidade, seja lendo e refletindo os livros de Carrón, a Revista Passos ou os vídeos postados no canal do YouTube de Comunhão e Libertação, percebo o quanto existe um Deus próximo que se importa com a minha humanidade, com as minhas fragilidades, e que sobretudo me perdoa, acalma minh’alma dando-me o refrigério e me consola. Quando abrimos os olhos e os ouvidos para ver e ouvir o outro, a partilha do outro, abre-se uma “janela” nova.

Pode ser que seja a “janela dos olhos espirituais” ou, quem sabe, da maturidade espiritual. Toda a inteligência e o discernimento de Carrón são um acréscimo em minha história de vida, me fazem querer descobrir o que ainda se esconde em mim, ocultado por meus medos, traumas ou situações mal resolvidas do passado. Todavia, desde a minha concepção, ainda no ventre de minha mãe e no coração de Deus, o que é da vontade d’Ele já estava reservado para mim. E se meu coração permanecer aberto à Sua infinita misericórdia, bondade e amor, tudo se cumprirá!

Gratidão! Por tudo e por todos!

Marilene, Brasília (DF)